Maringá FM


Notícias

10 de Agosto de 2017 Imprimir    E-mail

Pesquisa e antecedência podem ajudar nas compras para o Dia dos Pais; veja dicas

As datas especiais são sempre de grande importância do ponto de vista da economia e com o Dia dos Pais isso não é diferente. Geração de empregos, consumo aumentando, filhos querendo presentear os pais e comércio a todo vapor. Apesar de todo esse crescimento existente no mês dos pais, em um comparativo com o mês das mães os números são bem diferentes. De acordo com a Fecomércio, neste ano de 2017, mais de 55,39% dos cidadãos paraibanos apresentaram intenção de presentear. O resultado subiu 1,89 ponto percentual em relação ao ano passado, quando a pretensão foi de 53,50%. No Dia das Mães a intenção de compra foi de 64%. Comente no fim da matéria. 

A Pesquisa de Intenção de Compras para o Dia dos Pais foi realizada na Região Metropolitana de João Pessoa (RMJP) pelo Instituto Fecomércio de Pesquisas Econômicas e Sociais da Paraíba (IFEP). 

O economista Rodrigo Leone fala sobre o impacto das datas especiais na economia. "Como há mais consumo, há mais giro de moeda, mais impostos, muitas vezes tanto para o Dia das Mães como para o Natal, essas ocasiões especiais. Então há a contratação de empregados temporários, que é um alívio realmente tanto para os lojistas que têm maior receita e também para aquelas pessoas que estão à procura de emprego", explicou.

Para as pessoas que estão em situação financeira desfavorável, a dica do economista é procurar algum presente que não prejudique seu orçamento. Se a situação realmente for difícil, o melhor é não se endividar.

"Para as pessoas que estão em situação complicada, o ideal é comprar uma lembrancinha que não deixa o dia passar em branco, mas também que não atrapalhe o orçamento daqui para a frente. É bom sempre pesquisar os preços, pechinchar bastante, avaliar se aquele gasto vai realmente caber no orçamento que já está difícil e procurar não se endividar para essas compras, mesmo que se possa parcelar em 10, 12 vezes. Se está em situação complicada melhor não se endividar", alertou.

"Eu acho que o pai prefere muito mais um abraço e a presença do filho em casa, um almoço em casa com o filho, passar um tempo com ele, do que um presente caro que ele sabe que vai atrapalhar a vida financeira do filho", disse.

Dicas para economizar 

De acordo com a Fecomércio, a maior parte dos participantes da pesquisa que foi feita para avaliar as intenções de compra (63,27%) tem a intenção de comprar o presente exatamente na semana do Dia dos Pais, esperando possíveis reduções nos preços. Enquanto que 26,99% do total de respondentes estão planejando realizar suas compras na primeira semana de agosto. Já 9,29% do total anteciparam as compras dos presentes aproveitando as liquidações de julho.

No entanto, a dica que Rodrigo Leone dá é comprar com antecedência. De acordo com ele, os preços tendem a subir quando a data especial se aproxima. 

"Sempre vale a pena comprar com antecedência, tanto se você planejar essa compra, como comprar um pouco antes da véspera, ou da semana anterior ao dia dos pais. Os preços tendem a subir na véspera e no próprio dia", afirmou. 

De acordo com Rodrigo, comprar depois também pode ser boa opção se o pai não se importar em receber o presente atrasado.

"Se você ainda consegue comprar depois, melhor ainda que os preços também tendem a cair depois da data. Então comprar com antecedência ou comprar um pouco depois vale a pena por questões de economia", finalizou.

Consumidores precavidos 

Segundo a Fecomércio, para economizar na hora de comprar os presentes, a maior parte dos entrevistados irá fazer pesquisa de preço (84,96%). Em seguida, aparecem os consumidores que vão comprar presentes com preços mais baixos (6,64%). E uma parte (5,31%), não vai economizar na hora das compras. 

Em relação ao local das compras, 53,98% dos entrevistados pela Fecomercio pretendem adquirir os presentes nas lojas dos shoppings centers e 50,88% irão procurar as lojas localizadas no Centro de João Pessoa. Em seguida aparece internet (7,52%) e as lojas de bairro (5,31).

Consumo moderado

O estudante Germano Duarte diz o que ele faz para tentar economizar. "Eu pesquiso sempre e procuro comprar com antecedência. Em outros anos eu deixei para comprar em cima da hora e acabei pagando um preço caro pelo presente. Mas eu sempre pesquiso muito, inclusive na internet, que hoje em dia é fácil e seguro de fazer compras, para que depois o presente não pese no meu bolso", afirmou. 

Germano confessou que em um ano já deixou de presentear seu pai e a alternativa encontrada por ele foi o tradicional cartão com uma mensagem. "Em um ano eu não tinha dinheiro para dar o presente que achava que meu pai queria. Então o que eu fiz foi comprar um cartão e escrever uma mensagem para ele". 

O caso da aposentada Marluce Rezende é diferente. Ela sempre faz as compras na semana do dia dos pais, não faz muita pesquisa e admite que poderia pesquisar antes para conseguir economizar mais.

"Como eu compro o presente para meus netos presentearem o pai deles, eu sempre deixo para fazer a compra na semana que antecede o Dia dos Pais. Não me preocupo muito em comprar antes porque acho que a economia não vai ser tão grande", afirmou.

A aposentada diz que no Dia dos Pais as coisas são sempre mais fáceis, seja comprar um presente, seja para um almoço na data especial. 

"As lojas não ficam tão cheias como no Dia das Mães por exemplo. Nos restaurantes, observo que a movimentação ainda é grande, mas não se compara com o Dia das Mães. Na minha opinião, as coisas são mais fáceis no Dia dos Pais", finalizou. 

Portal Coremas com Portal Correio





« Voltar